Índice Geral de Preços-Mercado: mesmo que esse termo não signifique nada para você, é provável que ele afete bem as suas contas. O IGP-M é o indicador que regula o reajuste dos aluguéis de imóveis. E, no último ano, ele aumentou quase 18%.

Isso significa que seu aluguel vai aumentar tudo isso? A gente explica.

O que está acontecendo? O IGP-M aumentou 4,34% em setembro. Nos últimos 12 meses, a alta acumulada é de 17,94%, de acordo com dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Por que isso tem a ver com o aluguel? Porque, como padrão do mercado, esse índice é usado para reajustar os valores de aluguel de imóveis. Em termos práticos: se você tem um contrato de aluguel prestes a fazer aniversário, ele pode, por contrato, aumentar quase 18% de uma vez só.

Meu aluguel vai aumentar tudo isso? Não necessariamente – é aqui que entra a importância de estar bem informado sobre esse tema. O contexto econômico atual é bom para negociações. Mas, primeiro, você precisa entender o que é o IGP-M e por que ele está tão alto.

O IGP-M é um dos índices da inflação. Sigla para Índice Geral de Preços-Mercado, ele mede a variação de preços de uma série de produtos e serviços em todos os estágios de produção. São três os indicadores que compõem o IGP-M:

  • IPA-M: Índice de Preços por Atacado-Mercado. São os preços de produtos industriais e agrícolas no setor de atacado. Tem peso de 60% no cálculo do IGP-M.
  • IPC-M: Índice de Preços ao Consumidor-Mercado. São os preços de bens e serviços que compõem as despesas comuns de famílias. Tem peso de 30% no cálculo do IGP-M.
  • INCC-M: Índice Nacional do Custo da Construção-Mercado). Mede o valor dos custos de construções de imóveis. Tem peso de 10% no cálculo do IGP-M.

A pandemia puxou todos eles para cima. O IPA-M, que representa o maior “pedaço” do IGP-M, subiu 5,92% em setembro, puxado pela alta de grandes commodities (como a soja e o arroz em casca). Do lado do IPC-M, o principal aumento foi no subgrupo de recreação, com a volta à procura de passagens aéreas. No INCC, o maior encarecimento foi de materiais e equipamentos.

A pandemia teve um grande impacto no índice. Ela fez os preços das commodities dispararem nos mercados globais, com mais demanda de outros países. A alta do dólar, em paralelo, torna a exportação mais vantajosa para os produtores brasileiros, diminuindo a oferta dentro do Brasil e aumentando os preços.

E o meu aluguel nisso tudo? É verdade que os contratos de aluguel usam o IGP-M como base de reajuste. No entanto, essa alta do índice acontece em meio a uma crise de emprego e retração na economia brasileira – são mais de 13 milhões de desempregados no país, segundo o IBGE.

O IGP-M está muito acima do IPCA. E o IPCA, que é o principal índice de inflação do país, registrou apenas 2,44% nos últimos 12 meses. Isso mostra que a alta do “índice do aluguel” tem mais a ver com fatores externos do que internos.

Entre em contato com seu proprietário ou imobiliária. Com essas informações em mãos, fica mais fácil ter argumentos sólidos para fazer uma proposta de reajuste mais suave.