Skip to main content Skip to search

Archives for Noticias

GILRAT: Receita Federal notificará 7 mil empresas com divergências na apuração

RFB

Receita enviará avisos de autorregularização aos responsáveis pelas empresas, que poderão corrigir as inconsistências.

A Receita Federal constatou indícios de informações indevidas no GILRAT, que trata da contribuição para o Grau de Incidência de Incapacidade Laborativa Decorrente dos Riscos Ambientais do Trabalho, enviado nas GFIPs.

Os dados indicam a falta no recolhimento dessa contribuição por parte de 6.953 empresas, totalizando R$ 284 milhões.

Assim, a Receita Federal enviará avisos de autorregularização aos responsáveis pelas empresas, que poderão corrigir as inconsistências informadas em suas GFIPs.

Caso o responsável pela empresa receba a comunicação, não há necessidade de ir até uma unidade da Receita Federal, nem protocolar qualquer resposta ao aviso. Basta corrigir as GFIPs e regularizar o débito decorrente dessas alterações, seguindo as orientações do Órgão.

GILRAT

Além da cobrança de valores das contribuições devidas pelas empresas, o GILRAT garante o seguro contra o acidente do trabalho, cumprindo o disposto no artigo 7º da Constituição Federal, que protege os direitos dos trabalhadores, tanto aqueles com vínculo empregatício permanente como os trabalhadores avulsos urbanos ou rurais.

Read more

5 maneiras de atrair consumidores e vender mais pela internet

VENDAS ONLINE

Um dos setores que tem apresentado grandes oportunidades para empreendedores são as vendas pela internet, logo aplicar estratégias para vender mais pode ser uma das alternativas para impulsionar os resultados dos negócios.

Uma das estações mais esperadas do ano, sem dúvidas, é a primavera. Além da estação promover um clima dotado de flores, sol e calor, com a retomada das atividades de muitas áreas, essa época do ano também pode apresentar resultados positivos para alavancar o faturamento dos negócios.

Um dos setores que tem apresentado grandes oportunidades para empreendedores são as vendas pela internet, logo aplicar estratégias para vender mais nessa estação do ano pode ser uma das alternativas para impulsionar os resultados dos negócios.
Pensando nisso, Franklin Bravos, CEO da Signativa, startup que já profissionalizou mais de 500 e-commerces no Brasil, elenca as cinco principais maneiras para atrair mais consumidores e alavancar as vendas pela internet com a chegada da primavera. Confira:
1. Atualize seus produtos à estação
Com temperaturas mais altas, a primavera dá início a uma série de dias ensolarados. Dessa forma, é preciso oferecer produtos que atendam essa demanda da estação.

“É importante lembrar que essa demanda varia a depender do segmento do negócio, no entanto, a regra vale para todos, invista em atualizar ou oferecer produtos que tenham “a cara” da estação. Com isso, além de conseguir novas vendas, o negócio poderá atrair novos consumidores”, completa Bravos.

2. Invista no digital
Não há dúvidas de que a internet e o comércio eletrônico tem sido uma solução para muitos negócios empreender e conseguir renda. Por isso, é válido implementar e atualizar, sempre que possível, o negócio digital. “Com a pandemia, muitos brasileiros encontraram conforto e segurança em comprar pela internet.

Uma das tendências que devem permanecer entre os consumidores é realizar compras online. Na primavera essa busca pode ser intensificada por atualizar itens para a estação”, afirma.

3. Ofereça promoções e descontos
Promoções podem ser decisivas no momento de escolha dos consumidores e por isso ajudam a atrair e fidelizar novos clientes. ” A chegada da primavera coincide com o aumento da inflação em diversos setores.

Logo, a tendência dos consumidores, mais do que nunca, será pela oferta de produtos online e promoções”, diz “Essas ações promocionais podem ocorrer de diversas formas, como cupons de descontos e ‘leve dois e pague um”, completa

4. Desenvolva anúncios e estratégias de marketing
As redes sociais e estratégias de divulgação como o uso do marketing são alternativas para o negócio se aproximar do público alvo e conseguir novos consumidores para o empreendimento.

“Através da análise combinada de KPIs das redes sociais, incluindo conteúdo orgânico e anúncios, dos números de conversão de leads e vendas é possível monitorar se uma estratégia de marketing está surtindo efeito. É um meio que pode colaborar para marcas que atuam no varejo, ajudando a atrair novos consumidores utilizando os dados e as redes sociais”, explica.

5. Invista em tecnologia
Para quem quer vender mais, uma dica é apostar em ferramentas e tecnologias que ajudam a otimizar o checkout das vendas, afinal, processos rápidos evitam carrinhos vazios. Só para se ter uma ideia, no Brasil a taxa média de abandono do carrinho de compra é de 82%.

Pensando nisso, é necessário criar alternativas para que os clientes não desistam das compras. “Uma dica para turbinar o e-commerce é oferecer diversas opções de pagamento, assim como disponibilizar cupons de descontos, fretes grátis, entre outras ações que ajudem a fidelizar esse cliente. Encurtar o processo de compra também é importante. Em períodos como a primavera, os clientes aproveitam para pesquisar preços.

Fonte: Signativa

Read more

Conheça termos contábeis que todo empresário deve saber

TERMOS CONTÁBEIS

A contabilidade se relaciona diretamente com a rotina empresarial desde o momento da abertura do seu negócio, por isso conhecer mais dessa área pode auxiliar o empreendedor.

A contabilidade é parte essencial de qualquer negócio, sendo utilizada muito além das rotinas com o Fisco. Essa área é fundamental desde o momento da abertura, sendo utilizada no dia a dia, na busca por crescimento e também para auxiliar na tomada de decisões.

Um profissional contábil é capacitado para analisar pontos de melhorias relacionados ao seu setor, promover soluções e ainda deixar tudo em ordem nas obrigações tributárias, unindo seus conhecimentos ao do empreendedor de forma contínua, conseguindo alcançar bons resultados.

Para isso, o empresário precisa conhecer um pouco mais sobre os termos da rotina de trabalho do contador, para compreender seus procedimentos, afazeres e juntos alcançarem melhores resultados e uma gestão mais eficiente. Confira alguns termos contábeis mais usados.

Balanço patrimonial

Este relatório demonstra de forma objetiva a situação financeira e contábil da empresa dentro de um certo período. Nele são reunidos os bens adquiridos, obrigações tributárias, investimentos do negócio e são identificadas as fontes de recursos

Com isso é possível verificar qual foi a trajetória empresarial até o momento e quais estratégias podem ser adotadas neste momento.

Demonstração de resultado do exercício (DRE)

Neste informe contábil obrigatório é resumido o resultado líquido de um exercício financeiro. Para isso, um detalhamento das receitas e despesas é realizado a fim de mostrar se houve lucro ou prejuízo.

Custo fixo

O custo fixo faz referência aos custos da empresa que permitem seu funcionamento diário e que não possuem alterações, como conta de energia, aluguel, folha de pagamento e outros itens.

Custo variável

São aqueles custos para realizar uma tarefa diferente do habitual, algum evento ou outra situação que gere uma nova demanda, resultando em horas extras a serem pagas, novos insumos a serem comprados, tudo de forma pontual.

Fluxo de caixa

O fluxo de caixa é o documento que apresenta uma previsão das entradas e saídas financeiras, com ele é possível fazer o monitoramento dos custos do negócio permitindo a realização de projeções financeiras

Read more

Receita Federal prorroga o prazo de regularização do MEI

TRIBUTÁRIO

Dívidas dos contribuintes poderão ser regularizadas até o dia 30 de setembro

A Receita Federal está prorrogando o prazo para regularização das dívidas dos Microempreendedores Individuais (MEI) para 30 de setembro. Os débitos que estiverem em aberto no mês de outubro serão enviados à PGFN para inscrição em Dívida Ativa da União.
Contribuintes que possuam débitos da competência 2016 e que não tenham parcelado neste ano terão suas dívidas enviadas à Procuradoria. MEIs que possuam apenas dívidas de 2017 ou posteriores, ou tenham parcelado em 2021, não terão seus débitos enviados neste momento.
Os débitos da competência 2016 são declarados pela DASN (Declaração Anual do MEI) de 2017.
É importante ressaltar que apesar de perder diversos benefícios tributários e direitos previdenciários, o MEI em dívida com a Receita Federal não tem o seu CNPJ cancelado.

Inscrição dos débitos do MEI na PGFN: 

  • MEI possui débitos de 2016: todos as dívidas serão enviadas à PGFN a partir de outubro;
  • MEI possui débitos de 2016, mas parcelou em 2021: dívidas não serão enviadas neste momento;
  • MEI possui somente débitos de 2017 ou posteriores: dívidas não serão enviadas neste momento.

Fonte: Receita Federal

Read more

Entenda como ficou a gratificação salarial após a Reforma Trabalhista

GRATIFICAÇÃO SALARIAL

Regulamentada pela CLT, a gratificação pode acontecer de forma pontual em datas comemorativas ou por tempo de trabalho.

A gratificação salarial é um benefício financeiro extra oferecido pelo empregador, uma recompensa paga além do salário por um cargo de confiança, um trabalho bem desempenhado, por tempo de serviço e também em ocasiões festivas, como o natal.

Com a Reforma Trabalhista a incorporação dos prêmios, gratificações e bonificações por habitualidade foi extinguida, fazendo com que o benefício não seja parte irredutível do salário por ser oferecido algumas vezes.

Os prêmios então passam a ser considerados de forma separada, evitando que integrem o salário.

A gratificação portanto pode ser feita de forma pontual e esporádica, desde que o trabalhador esteja ciente de que não é uma gratificação legal, ou seja, acordada como fixa e recorrente.

Caso essa situação seja determinada como permanente (gratificação legal) a empresa é obrigada a manter o pagamento, já que a legislação nega qualquer redução salarial ou mudanças contratuais que possam prejudicar o trabalhador.

A redação sobre o tema após a Reforma Trabalhista fica da seguinte forma:

“Art. 457 § 1° – Integram o salário a importância fixa estipulada, as gratificações legais e de função e as comissões pagas pelo empregador.

(…)

Art. 457 § 4° – Consideram-se prêmios as liberalidades concedidas pelo empregador em forma de bens, serviços ou valor em dinheiro a empregado ou a grupo de empregados, em razão de desempenho superior ao ordinariamente esperado no exercício de suas atividades.”

Vale lembrar que essa situação deve constar na folha de pagamento, incidindo os devidos encargos trabalhistas também em cima deste valor e que sem a obrigação estipulada, o valor e a periodicidade podem variar.

Read more

Prazo de negociação de débitos com a Receita Federal termina dia 31

RFB

Contribuintes podem regularizar pendências com até 50% de desconto por meio da Transação Tributária.

Os contribuintes têm até a próxima terça-feira (31) para regularizar pendências junto à Receita Federal com até 50% de desconto por meio da Transação Tributária.

Podem aderir ao programa as pessoas físicas e jurídicas. Além disso, para fazer o acordo é necessário optar pelo Domicílio Tributário Eletrônico (DTE).

Transação Tributária

A Transação Tributária é uma forma de extinção dos débitos em que há concessões das duas partes, assim, o contribuinte termina a discussão em processo judicial ou administrativo e a Receita Federal aplica os descontos.

No momento está aberto o edital referente ao pagamento de contribuições sobre a participação nos lucros e resultados (PLR) para previdência ou outras entidades e fundos.

Os prazos e regras para adesão ao acordo de transação são publicados no Diário Oficial da União por meio de editais.

O prazo de adesão do Edital nº 11/2021 é entre o dia 1 de junho de 2021 e o dia 31 de agosto de 2021.

Como aderir

Para aderir à Transação Tributária é preciso acessar o sistema e selecionar a ação “Preencher/Enviar Formulário” na linha “Requerimento de Adesão à Transação no Contencioso Tributário de Relevante e Disseminada Controvérsia Jurídica”.

Complete as informações solicitadas na declaração eletrônica. Para cada grupo de informações (ocorrências) é necessário clicar no botão “Validar ocorrência”. É possível a inclusão de mais de um processo administrativo na declaração. Ao final, clique no botão “Transmitir”.

Vale ressaltar que o pedido de adesão à transação somente terá efeito a partir do dia do pagamento da primeira parcela da entrada, que deverá ocorrer até o último dia útil do mês de adesão.

DARF para pagamento deverá ser preenchido manualmente pelo contribuinte com o código de receita 6028.

Read more

FGTS começa a creditar distribuição de lucros para trabalhadores

FGTS

A Caixa Econômica Federal tem até 31 de agosto para depositar os valores do lucro do FGTS.

A Caixa Econômica Federal já começou a creditar o lucro do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) referente a 2020 para os trabalhadores.

Serão distribuídos R$ 8,12 bilhões entre as 191,2 milhões de contas vinculadas ao fundo, que tinham saldo positivo em 31 de dezembro do ano passado.

O valor será creditado ao saldo do FGTS e permanecerá até que o trabalhador atenda algum dos critérios previstos em lei para o saque, como aposentadoria e demissão sem justa causa.

Quem sacou o fundo de garantia depois de 31 de dezembro de 2020, por algum desses dois motivos, poderá resgatar a parte creditada a título de distribuição de resultados.

No entanto, quem realizou o saque integral da conta vinculada antes do final do ano passado e não tinha mais saldo em 31 de dezembro não receberá o dinheiro.

Distribuição de lucros FGTS

Os valores serão creditados proporcionalmente ao saldo existente nas contas vinculadas do FGTS no dia 31 de dezembro de 2020 e passarão a compor o saldo do trabalhador.

O índice a ser aplicado sobre o saldo das contas em 31 de dezembro será de “0,01863517” ou de 1,86%.

“Na prática, o trabalhador terá depositado em sua conta no fundo R$ 1,86 para cada R$ 100 que ele tinha de saldo no dia 31 de dezembro de 2020”, informou a Caixa.

Para saber quanto será pago, o trabalhador deve multiplicar o valor que constava no saldo das contas no último dia de dezembro de 2020 por 0,01863517. Confira algumas simulações:

  • Saldo de R$ 1.000: lucro de R$ 18,64;
  • Saldo de R$ 2.000: lucro de R$ 37,27;
  • Saldo de R$ 3.000: lucro de R$ 55,91;
  • Saldo de R$ 5.000: lucro de R$ 93,18.

Como consultar o saldo

Aplicativo

O trabalhador pode consultar o saldo por meio do aplicativo do FGTS. O app pode ser baixado para sistemas Android ou iOS.

Site da Caixa

Outra possibilidade é por meio do site da Caixa, que pode ser acessado neste link.

Read more

Desconto para MEI: comprar com CNPJ pode reduzir 30% do valor em carros

DESCONTOS EM CARROS

  

Conheça mais sobre os benefícios que o Microempreendedor individual tem direito e os limites de compra.

 

Quando o empreendedor realiza o registro do seu negócio para se tornar Microempreendedor Individual (MEI) existem diversas vantagens fiscais, previdenciárias e financeiras.

Com a regularização do negócio, o MEI obtém o Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) e passa a usufruir de vários benefícios, entre eles um dos mais importantes são os descontos significativos na compra de mercadorias, insumos, matéria-prima, maquinário e até de um carro.

Descontos para MEI na compra de carros

CNPJ MEI permite a compra de bens que podem facilitar na execução do trabalho e na rotina da empresa e o carro se encaixa nessa categoria, garantindo descontos de até 30% no veículo devido a isenção dos impostos ICMS e IPI.

A redução do valor varia de acordo com o modelo e marca, mas ao informar que gostaria de realizar a compra como pessoa jurídica, apresentando o Certificado MEI, a inscrição estadual e outros dados pessoais, o empresário consegue retirar um carro com desconto registrado sob o CNPJ MEI.

Por isso, caso haja alguma irregularidade com o automóvel, as dívidas e restrições recaem na empresa.

O repasse do carro só poderá ser realizado após um ano da compra e o desconto só vale para carros novos, ou seja, zero quilômetro. Além disso, o prazo para entrega pode ser mais longo nesses casos.

Limites de compra

Um dos requisitos do MEI é que o limite anual seja de até R$81 mil, com limite de gastos com mercadorias para comercialização de no máximo 80% do valor bruto da sua receita.

No caso do veículo, esse limite não é aplicado pois seria para uso próprio, mas caso tenha um valor muito alto, poderá ser questionado em caso de fiscalização e a renda e faturamento deverão ser comprovados para justificar a compra.

 

Read more

SUA EMPRESA CAIU NA MALHA FISCAL DIRF X DARF, E AGORA?

Receita Federal explica a razão da notificação e indica como proceder nessa situação

Esporadicamente a Receita Federal realiza operações de malha fiscal de pessoa jurídica, também conhecida como malha fina, para buscar e reconhecer possíveis erros ou problemas quanto à prestação de contas e recolhimento de tributos pelas empresas.

Neste mês de junho algumas empresas estão recebendo a comunicação da Malha Fiscal PJ – Operação 80.001 – Parâmetro DIRF x DARF – na caixa postal do e-cac (portal de atendimento virtual) e não sabem exatamente como proceder nesse caso.

A Dirf x DARF – Operação Fonte Não Pagadora traz indícios constatados que surgiram a partir do cruzamento de informações eletrônicas, com o objetivo de verificar a consistência entre as informações fornecidas pela Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte (Dirf) do próprio contribuinte e dos documentos de confissão dos débitos federais e de recolhimento, DCTF e DCOMP.

A Receita Federal possibilita a autorregularização, mediante a correção das inconsistências, sem a prévia adoção de qualquer medida coercitiva ou punitiva. Confira abaixo as instruções dadas pela própria Receita Federal para resolver essa pendência.

Quem pode ter recebido a notificação

A Receita alega divergências nos valores do Imposto de Renda Retido na Fonte informados na Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte (Dirf) dos exercícios de 2019 e 2020 (anos-calendário 2018 e 2019, respectivamente), quando comparados com os valores declarados em DCTF e recolhidos em DARF ou compensados em DCOMP para o mesmo período, e por isso as pessoas jurídicas que apresentaram essas divergências estão em Malha Fiscal.

Alguns contribuintes apresentaram divergência em apenas alguns meses de um ano, ou seja, em 2018 ou 2019, e outros apresentaram em meses nos dois anos-calendários. Os períodos específicos para cada contribuinte constam no “Demonstrativo de Inconsistências Apuradas” anexo no processo digital preparado individualmente e disponibilizado no e-cac.

O número do processo digital é informado na mensagem da caixa postal, também no e-cac, junto com outras orientações. Então, é muito importante que o contribuinte acesse sua caixa postal e confira se tem alguma mensagem recebida sobre esta operação de Malha.

O que fazer se recebeu a notificação no e-cac

Nesta situação é indicado realizar uma análise da apuração do IRRF com base no “Demonstrativo de Inconsistências Apuradas” da comunicação da MALHA PJ e compará-las com a informação prestada na DCTF dos exercícios constantes na comunicação recebida, no sentido de corrigir espontaneamente as divergências, declarando e recolhendo em DARF a diferença ou realizando a compensação em DCOMP.

A comunicação da Malha Fiscal PJ – Operação 80.001 foi enviada para as empresas, exceto as optantes pelo Simples Nacional que estão desobrigadas de DCTF, que apresentaram divergências em relação aos seguintes códigos de receita:

0561 – Trabalho Assalariado no País e Ausentes no Exterior a Serviço do País;

0588 – Rendimentos do Trabalho sem vínculo empregatício;

3208 – Aluguéis e Royalties pagos à Pessoa Física; e

1708 – Serviços Prestados por Pessoa Jurídica.

Quando a empresa deve se regularizar?

Constatado o erro, a empresa deve transmitir a DCTF retificadora e efetuar o recolhimento ou a compensação até o prazo de 25 de julho de 2021, evitando assim as autuações.

A DCTF retificadora tem a mesma natureza da declaração originariamente apresentada, substituindo-a integralmente, e serve para declarar novos débitos, aumentar ou reduzir os valores de débitos já informados ou efetivar qualquer alteração nos créditos vinculados, de acordo com os procedimentos disciplinados na Instrução Normativa nº 2005, de 29 de janeiro de 2021.

Lembrando que não é necessário o comparecimento ao atendimento presencial da Receita Federal para efetuar a regularização da sua situação, é possível realizar a correção online.

 

Read more

Pandemia: governo concede desconto de R$ 30 bi em renegociações de dívidas

DÍVIDAS TRIBUTÁRIA

Desde o início da pandemia, foram fechados 308 mil acordos envolvendo débito total de R$ 95,3 bilhões com a União.

Dívidas tributárias têm se tornado a dor de cabeça de muitos empresários desde que a pandemia começou. Para tentar amenizar os impactos da crise para o segmento, o governo federal já concedeu descontos de R$ 30,2 bilhões a empresas e pessoas físicas que renegociaram dívidas tributárias.

Dados da PGFN (Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional) mostram que, para viabilizar os acordos, a União abriu mão de receber cerca de um terço do total devido.

Foram fechados 308 mil acordos envolvendo um débito total de R$ 95,3 bilhões de abril de 2020 a maio deste ano. Em média, cada devedor conseguiu uma redução de aproximadamente R$ 100 mil para quitar dívidas — o prazo para pagamento do valor restante também foi ampliado.

Essas tratativas são resultado da Lei do Contribuinte Legal, em vigor desde abril do ano passado e que regulamentou a chamada transação tributária — mecanismo de renegociação de dívidas voltado a devedores em situação financeira crítica.

Técnicos do Ministério da Economia afirmam que a medida não foi aprovada intencionalmente para fazer frente aos efeitos da pandemia do novo coronavírus, mas foi útil para atender um grande número de empresas abatidas pelas restrições da crise sanitária.

Os descontos concedidos no período seriam suficientes para bancar quase um ano de benefícios do Bolsa Família.

Embora o valor seja elevado, o governo argumenta que esses recursos dificilmente retornariam aos cofres públicos se não houvesse desconto e condições favoráveis para pagamento.

O procurador-geral-adjunto de Gestão da Dívida Ativa da União, Cristiano Neuenschwander, afirma que essas reduções são concedidas apenas a quem realmente precisa.

“A transação tributária é a forma que existe para podermos recuperar a dívida. Em uma situação ordinária, essa dívida é considerada de difícil recuperação e ela realmente não entraria nas contas do governo não fosse essa possibilidade de chegar a um acordo e oferecer uma condição que se encaixa na capacidade de pagamento daquele contribuinte”, diz.

De acordo com a PGFN, caso o contribuinte não cumpra o acordo até o final, os descontos são revogados e a cobrança é retomada pelo valor original da dívida.

A lei permite que o governo ofereça descontos de até 100% sobre multas, juros e encargos, respeitando o limite de 70% do valor total da dívida. O prazo máximo para os parcelamentos é de 145 meses.

Para companhias de médio e grande portes, os benefícios são menores, com desconto de até 50% do total do passivo e prazo máximo de 84 meses.

Novo Refis

Diante de movimentações do Congresso, a equipe econômica tenta combater a ideia da criação de um novo Refis (programa de refinanciamento de dívidas).

Esse modelo difere da transação por não focar em contribuintes que passam por crise financeira e oferecer benefícios a todos os devedores, mesmo aqueles em boas condições de pagamento.

“Aqueles que não precisam têm as condições normais para fazer a regularização das dívidas. O Refis sempre foi genérico, linear, dá desconto até para quem não teve nenhum abalo na crise”, afirma o procurador.

No pacote de reforma tributária em negociação com o Congresso, o Ministério da Economia busca o aval dos parlamentares para implementar um passaporte tributário.

A ideia é ampliar o mecanismo da transação tributária, mantidas as premissas que beneficiam contribuintes em dificuldade. No entanto, congressistas articulam a votação de um novo Refis, de autoria do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

O projeto, que foi incluído na pauta de votação do plenário da Casa, oferece descontos de até 100% sobre juros e multas, preservado o valor original do débito. O prazo dos parcelamentos chega a 175 meses. O texto ainda permite que empresas usem créditos de prejuízo fiscal para abater as dívidas.

Na justificativa da proposta, Pacheco argumenta que a pandemia do coronavírus comprometeu a capacidade de as empresas pagarem os tributos devidos ao governo e afirma que os termos das transações tributárias têm “importantes impeditivos para a realização de acordos razoáveis”, como descontos menores e prazos mais curtos para pagamento.

Fonte: com informações da Folha de S.Paulo

Read more
×

Powered by WhatsApp Chat

× Como posso te ajudar?