Skip to main content Skip to search

Archives for Noticias

IA: ser humano será substituído por máquinas ou haverá a criação de novos trabalhos?

TECNOLOGIA

Especialista garante que, como toda revolução, muitas mudanças ocorrerão, contudo, isso não significa que acabarão empregos.

Não é nenhum segredo que os serviços de robotização são primordiais para o progresso e a competitividade das empresas. A previsão é que, até o fim deste ano, conforme aponta levantamento da HSR Specialist Research, só o mercado de Robotic Process Automation (RPA) alcance a cifra de US$ 1,2 bilhões. Mas, no Brasil, o caminho ainda é longo para que as empresas, muitas ainda dando seus primeiros passos nesta jornada, melhorem suas capacidades de automação inteligente.

Então, com o intuito de fazer um debate do mercado de automação do Brasil e compreender em qual posição se encontram as empresas de variados portes e segmentos para atender às novas demandas e capacidades trazidas pelo avanço da automação inteligente, é que foi realizado, no ROIT BANK, o evento By Members do LIDE Paraná.

Na ocasião, Lucas Ribeiro, CEO do ROIT BANK, ao apresentar a palestra “Transformação Digital na Prática: como aplicações de inteligência artificial e robotização transformam processos e dão eficiência às médias e grandes empresas”, levantou uma das questões mais discutidas no momento: “Afinal: a inteligência artificial vai eliminar vagas de emprego?”.

Para alívio de muitos, a resposta foi negativa: como toda revolução, muitas mudanças ocorrerão, naturalmente, contudo, isso não quer dizer que os empregos serão extintos. Mesmo porque, quem se lembra dos automóveis que deram fim às carruagens, mas, em compensação, criaram outros mercados e outras profissões? Das locadoras de vídeo, extintas graças à internet? E das máquinas de datilografar, substituídas pelo computador? “Então, com a inteligência artificial (IA), o humano continuará parte do processo, mas ele é exceção à regra, entrando em cena nas situações em que os robôs não conseguem operar”.

Fonte: Engenharia de Comunicação

Read more

Conheça seus direitos como consumidor e veja dicas para se preparar para a Black Friday

26 DE NOVEMBRO

Com a expectativa do mercado em alta para o dia 26 de novembro, saiba quais são as ferramentas que podem assegurar e respaldar sua compra.

Apesar da recessão e queda no varejo, alguns setores têm superado a crise econômica e tiveram crescimentos exponenciais mesmo durante a pandemia, como é o caso do comércio eletrônico.

Somente no Brasil, este setor teve um crescimento em 68% em comparação com 2019, elevando a participação do e-commerce no faturamento total do varejo, que passou de 5% no final de 2019 para um patamar acima de 10% em alguns meses do ano passado, segundo levantamento da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

Com a Black Friday a expectativa não é diferente: o evento promete movimentar cerca de R$ 110 bilhões este ano no comércio eletrônico no país, segundo uma pesquisa da E-bit/Nielsien.

Diante de tantas promoções empolgantes, a professora Letícia Moraes Silvério, coordenadora do curso de Direito da Faculdade Anhanguera, destaca alguns pontos importantes que os consumidores devem se atentar nas compras online.

Analise a aparência do site

A coordenadora avisa para que os clientes fiquem atentos à página oficial da loja, ao seu visual, logo e marca. Identifique se há muitos erros gramaticais, se as imagens são de boa qualidade e confira o link do domínio (.com ou .org, por exemplo). Tudo isso são indicações de que a loja é de fato a que sugere.

Pesquise a reputação da plataforma

Todo cliente deve procurar por referências antes de realizar uma compra online, explica a docente. “Verifique a reputação das lojas através de pesquisas em sites de reclamações, além de comentários e avaliações de antigos compradores. Esse repertório pode auxiliar na decisão final do comprador”, completa.

Direito a troca e devolução

Mesmo no mundo online, as plataformas de compras digitais seguem a legislação vigente do Código de Defesa do Consumidor (CDC), que garante ao cliente o direito de desistir de uma compra em até sete dias do recebimento, já que a compra é feita à distância e o cliente não consegue ver pessoalmente o produto.

Canal de atendimento

Outro fator decisivo para finalizar a compra é verificar se o site possui canais de atendimento, facilitando a comunicação em caso de problemas. “Certifique-se de que a loja possui um canal de comunicação, o SAC, e uma política transparente de trocas ou devoluções”, finaliza a coordenadora.

Direito à entrega

O CDC também garante que o produto comprado deverá ser entregue, seguindo um prazo estipulado previamente aceito pelo comprador, e caso não seja cumprido, o código prevê a devolução do valor com o frete, um produto equivalente ou se assim escolher, o envio mesmo que atrasado.

Propaganda enganosa é crime

Vale lembrar também que a propaganda enganosa é considerada como ato ilícito e essas ações podem e devem ser enviadas ao Procon, Conar e acionadas judicialmente com base no CDC.

Com informações Faculdade Anhanguera

Read more

Veja os motivos que levam sua empresa a sair do Simples Nacional

O regime de tributação simplifica o pagamento de impostos por pequenas empresas

Opção para empresas de pequeno porte, o Simples Nacional é um regime de tributação que traz algumas vantagens para empresários e simplificam o pagamento de impostos. Contudo, há alguns requisitos que devem ser cumpridos para que a empresa possa fazer parte do sistema, inclusive, mesmo após o cadastro.

A principal condição é ter um faturamento bruto anual de, no máximo, R$ 4,8 milhões. Caso, este valor ultrapasse, a empresa pode ser retirada do sistema de tributação. Para que haja a exclusão, a Receita Federal deve obrigatoriamente comunicar a empresa.

VEJA OUTROS MOTIVOS QUE LEVAM UMA EMPRESA A SER RETIRADA DO SIMPLES NACIONAL:

ACIMA DO LIMITE DE FATURAMENTO

Com o teto de R$ 4,8 milhões de faturamento anual, as empresas que ultrapassem disso podem ser retiradas do Simples Nacional.

Porém, caso o valor a mais não supere 20% do limite, ou seja, R$ 960 mil, a exclusão só ocorrerá no ano seguinte. Por sua vez, se ultrapassar os 20%, a exclusão acontecerá logo no mês subsequente.

ENDIVIDAMENTO

Uma das exigências para que a empresa se mantenha no Simples Nacional é estar em dia com o pagamento dos tributos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Receita Federal e Fiscos municipais e estaduais. Com o monitoramento constante da Receita Federal, é possível que o optante seja retirado caso sejam verificados débitos.

ATIVIDADES NÃO ENQUADRADAS

Outra possibilidade, é que a empresa acaba alterando o tipo de atividade desempenhada por alguma que não esteja enquadrada nas condições do Simples Nacional.

“O Simples é limitado para algumas atividades econômicas. Caso o empresário comece um ramo que seja atendido ao regime e mude para um que não esteja, certamente será excluído do sistema”.

Entre as atividades que são impedidas estão exercício de atividade de banco comercial e de investimentos; serviço de transporte intermunicipal e interestadual de passageiros; atividade de importação ou fabricação de automóveis e motocicletas, entre outras.

A lista completa dos CNAEs (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) pode ser conferida no site do Simples Nacional.

CONDIÇÕES SOCIETÁRIAS

Acrescentamos que as condições societárias também são motivos de exclusão, já que o sócio não pode:

  • Ser domiciliado no exterior;
  • Ter sociedade com mais de 10% de capital em outra empresa não beneficiada pela Lei Complementar nº 123, de 2006;
  • Participar no capital de outra Pessoa Jurídica;
  • Ter sociedade ou ser titular de outra empresa com faturamento bruto anual superior ao limite exigido pelo Simples Nacional.

O QUE É O SIMPLES NACIONAL?

“O Simples Nacional foi criado em 2006 e é um regime tributário simplificado para micro e pequenas empresas com faturamento de até R$ 4,8 milhões por ano”.

QUAIS SÃO AS VANTAGENS?

As empresas têm de pagar regularmente mais de oito tributos, cada um com guia de recolhimento diferente. O Simples Nacional concentra todos esses impostos em uma única guia com um único vencimento. Além disso, a alíquota é menor.

“Outro benefício é que empresa que está no sistema tem um menor volume de declarações para serem entregues ao fisco, consequentemente as multas são mais brandas”.

O QUE FAZER SE A EMPRESA FOR EXCLUÍDA E QUISER VOLTAR AO SISTEMA?

A volta ao Simples vai depender do fator que ocasionar a exclusão. “Se for por débitos de tributos, a empresa pode continuar no corrente ano, mas para seguir no Simples no ano seguinte tem que regularizar”.

Read more

Fim do prazo: MEI deve regularizar débitos em aberto até hoje (30)

PRAZO ACABA HOJE

Pendências até 2016 não quitadas passarão para dívida ativa se não forem acertadas nesta quinta-feira, dia 30.

Chega ao fim nesta quinta-feira (30) o prazo para os microempreendedores individuais (MEIs) regularizarem o pagamento dos impostos devidos desde 2016 ou há mais tempo. Os empresários neste ano tiveram uma folga a mais, já que a data foi prorrogada em um mês devido à instabilidades no sistema, tendo vencimento original no fim de agosto.

Se os tributos e as obrigações em atraso ou não parcelados não forem corrigidos ainda hoje, os MEIs serão incluídos na Dívida Ativa da União. A inscrição acarreta cobrança judicial dos débitos e perda de benefícios tributários.

De acordo com a Receita, existem 4,3 milhões de microempreendedores inadimplentes, que devem R$ 5,5 bilhões ao governo. Isso equivale a quase um terço dos 12,4 milhões de MEIs registrados no país.

No entanto, a inscrição na dívida ativa só vale para dívidas não quitadas superiores a R$ 1 mil, somando o valor principal, multa, juros e demais encargos. Atualmente, o Brasil tem 1,8 milhão de microempreendedores nessa situação, que devem R$ 4,5 bilhões.

Dívidas pela pandemia

De acordo com a Receita Federal, os MEIs que tiverem apenas dívidas recentes, em razão das dificuldades causadas pela pandemia de covid-19, não serão afetados. Também não serão inscritas as dívidas de quem realizou parcelamento neste ano, mesmo que haja alguma parcela em atraso ou que o parcelamento tenha sido rescindido.

Como consultar e acertar o pagamento

Os débitos sob cobrança podem ser consultados no Programa Gerador do DAS para o MEI. Por meio de certificado digital ou do código de acesso, basta clicar na opção “Consulta Extrato/Pendências” e, em seguida, em “Consulta Pendências no Simei”. O Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS) para quitar as pendências pode ser gerado tanto pelo site quanto por meio do Aplicativo MEI, disponível para celulares Android ou iOS.

Ainda é possível fazer o pagamento ou parcelamento das dívidas acessando o Portal e-CAC. O passo a passo sobre o parcelamento também está disponível no Portal Gov.br.

De acordo com a Receita, existem 4,3 milhões de microempreendedores inadimplentes, que devem R$ 5,5 bilhões ao governo. Isso equivale a quase um terço dos 12,4 milhões de MEIs registrados no país. No entanto, a inscrição na dívida ativa só vale para dívidas não quitadas superiores a R$ 1 mil, somando o valor principal, multa, juros e demais encargos. Atualmente, o Brasil tem 1,8 milhão de microempreendedores nessa situação, que devem R$ 4,5 bilhões.

Dívida ativa

Caso a dívida não seja quitada, o MEI ficará devendo multas, podendo ser cobrado na justiça, correrá risco de ser inscrito na dívida ativa do seu estado e município.

Com a inscrição em dívida ativa, o microempreendedor deixa de ser segurado do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e perde benefícios como auxílio-doença e aposentadoria; tem o Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) cancelado; é excluído do Simples Nacional pela Receita Federal, estados e municípios, que têm alíquotas mais baixas de imposto; e pode ter dificuldades para conseguir financiamentos e empréstimos.

Com informações Agência Brasil

Read more

GILRAT: Receita Federal notificará 7 mil empresas com divergências na apuração

RFB

Receita enviará avisos de autorregularização aos responsáveis pelas empresas, que poderão corrigir as inconsistências.

A Receita Federal constatou indícios de informações indevidas no GILRAT, que trata da contribuição para o Grau de Incidência de Incapacidade Laborativa Decorrente dos Riscos Ambientais do Trabalho, enviado nas GFIPs.

Os dados indicam a falta no recolhimento dessa contribuição por parte de 6.953 empresas, totalizando R$ 284 milhões.

Assim, a Receita Federal enviará avisos de autorregularização aos responsáveis pelas empresas, que poderão corrigir as inconsistências informadas em suas GFIPs.

Caso o responsável pela empresa receba a comunicação, não há necessidade de ir até uma unidade da Receita Federal, nem protocolar qualquer resposta ao aviso. Basta corrigir as GFIPs e regularizar o débito decorrente dessas alterações, seguindo as orientações do Órgão.

GILRAT

Além da cobrança de valores das contribuições devidas pelas empresas, o GILRAT garante o seguro contra o acidente do trabalho, cumprindo o disposto no artigo 7º da Constituição Federal, que protege os direitos dos trabalhadores, tanto aqueles com vínculo empregatício permanente como os trabalhadores avulsos urbanos ou rurais.

Read more

5 maneiras de atrair consumidores e vender mais pela internet

VENDAS ONLINE

Um dos setores que tem apresentado grandes oportunidades para empreendedores são as vendas pela internet, logo aplicar estratégias para vender mais pode ser uma das alternativas para impulsionar os resultados dos negócios.

Uma das estações mais esperadas do ano, sem dúvidas, é a primavera. Além da estação promover um clima dotado de flores, sol e calor, com a retomada das atividades de muitas áreas, essa época do ano também pode apresentar resultados positivos para alavancar o faturamento dos negócios.

Um dos setores que tem apresentado grandes oportunidades para empreendedores são as vendas pela internet, logo aplicar estratégias para vender mais nessa estação do ano pode ser uma das alternativas para impulsionar os resultados dos negócios.
Pensando nisso, Franklin Bravos, CEO da Signativa, startup que já profissionalizou mais de 500 e-commerces no Brasil, elenca as cinco principais maneiras para atrair mais consumidores e alavancar as vendas pela internet com a chegada da primavera. Confira:
1. Atualize seus produtos à estação
Com temperaturas mais altas, a primavera dá início a uma série de dias ensolarados. Dessa forma, é preciso oferecer produtos que atendam essa demanda da estação.

“É importante lembrar que essa demanda varia a depender do segmento do negócio, no entanto, a regra vale para todos, invista em atualizar ou oferecer produtos que tenham “a cara” da estação. Com isso, além de conseguir novas vendas, o negócio poderá atrair novos consumidores”, completa Bravos.

2. Invista no digital
Não há dúvidas de que a internet e o comércio eletrônico tem sido uma solução para muitos negócios empreender e conseguir renda. Por isso, é válido implementar e atualizar, sempre que possível, o negócio digital. “Com a pandemia, muitos brasileiros encontraram conforto e segurança em comprar pela internet.

Uma das tendências que devem permanecer entre os consumidores é realizar compras online. Na primavera essa busca pode ser intensificada por atualizar itens para a estação”, afirma.

3. Ofereça promoções e descontos
Promoções podem ser decisivas no momento de escolha dos consumidores e por isso ajudam a atrair e fidelizar novos clientes. ” A chegada da primavera coincide com o aumento da inflação em diversos setores.

Logo, a tendência dos consumidores, mais do que nunca, será pela oferta de produtos online e promoções”, diz “Essas ações promocionais podem ocorrer de diversas formas, como cupons de descontos e ‘leve dois e pague um”, completa

4. Desenvolva anúncios e estratégias de marketing
As redes sociais e estratégias de divulgação como o uso do marketing são alternativas para o negócio se aproximar do público alvo e conseguir novos consumidores para o empreendimento.

“Através da análise combinada de KPIs das redes sociais, incluindo conteúdo orgânico e anúncios, dos números de conversão de leads e vendas é possível monitorar se uma estratégia de marketing está surtindo efeito. É um meio que pode colaborar para marcas que atuam no varejo, ajudando a atrair novos consumidores utilizando os dados e as redes sociais”, explica.

5. Invista em tecnologia
Para quem quer vender mais, uma dica é apostar em ferramentas e tecnologias que ajudam a otimizar o checkout das vendas, afinal, processos rápidos evitam carrinhos vazios. Só para se ter uma ideia, no Brasil a taxa média de abandono do carrinho de compra é de 82%.

Pensando nisso, é necessário criar alternativas para que os clientes não desistam das compras. “Uma dica para turbinar o e-commerce é oferecer diversas opções de pagamento, assim como disponibilizar cupons de descontos, fretes grátis, entre outras ações que ajudem a fidelizar esse cliente. Encurtar o processo de compra também é importante. Em períodos como a primavera, os clientes aproveitam para pesquisar preços.

Fonte: Signativa

Read more

Conheça termos contábeis que todo empresário deve saber

TERMOS CONTÁBEIS

A contabilidade se relaciona diretamente com a rotina empresarial desde o momento da abertura do seu negócio, por isso conhecer mais dessa área pode auxiliar o empreendedor.

A contabilidade é parte essencial de qualquer negócio, sendo utilizada muito além das rotinas com o Fisco. Essa área é fundamental desde o momento da abertura, sendo utilizada no dia a dia, na busca por crescimento e também para auxiliar na tomada de decisões.

Um profissional contábil é capacitado para analisar pontos de melhorias relacionados ao seu setor, promover soluções e ainda deixar tudo em ordem nas obrigações tributárias, unindo seus conhecimentos ao do empreendedor de forma contínua, conseguindo alcançar bons resultados.

Para isso, o empresário precisa conhecer um pouco mais sobre os termos da rotina de trabalho do contador, para compreender seus procedimentos, afazeres e juntos alcançarem melhores resultados e uma gestão mais eficiente. Confira alguns termos contábeis mais usados.

Balanço patrimonial

Este relatório demonstra de forma objetiva a situação financeira e contábil da empresa dentro de um certo período. Nele são reunidos os bens adquiridos, obrigações tributárias, investimentos do negócio e são identificadas as fontes de recursos

Com isso é possível verificar qual foi a trajetória empresarial até o momento e quais estratégias podem ser adotadas neste momento.

Demonstração de resultado do exercício (DRE)

Neste informe contábil obrigatório é resumido o resultado líquido de um exercício financeiro. Para isso, um detalhamento das receitas e despesas é realizado a fim de mostrar se houve lucro ou prejuízo.

Custo fixo

O custo fixo faz referência aos custos da empresa que permitem seu funcionamento diário e que não possuem alterações, como conta de energia, aluguel, folha de pagamento e outros itens.

Custo variável

São aqueles custos para realizar uma tarefa diferente do habitual, algum evento ou outra situação que gere uma nova demanda, resultando em horas extras a serem pagas, novos insumos a serem comprados, tudo de forma pontual.

Fluxo de caixa

O fluxo de caixa é o documento que apresenta uma previsão das entradas e saídas financeiras, com ele é possível fazer o monitoramento dos custos do negócio permitindo a realização de projeções financeiras

Read more

Receita Federal prorroga o prazo de regularização do MEI

TRIBUTÁRIO

Dívidas dos contribuintes poderão ser regularizadas até o dia 30 de setembro

A Receita Federal está prorrogando o prazo para regularização das dívidas dos Microempreendedores Individuais (MEI) para 30 de setembro. Os débitos que estiverem em aberto no mês de outubro serão enviados à PGFN para inscrição em Dívida Ativa da União.
Contribuintes que possuam débitos da competência 2016 e que não tenham parcelado neste ano terão suas dívidas enviadas à Procuradoria. MEIs que possuam apenas dívidas de 2017 ou posteriores, ou tenham parcelado em 2021, não terão seus débitos enviados neste momento.
Os débitos da competência 2016 são declarados pela DASN (Declaração Anual do MEI) de 2017.
É importante ressaltar que apesar de perder diversos benefícios tributários e direitos previdenciários, o MEI em dívida com a Receita Federal não tem o seu CNPJ cancelado.

Inscrição dos débitos do MEI na PGFN: 

  • MEI possui débitos de 2016: todos as dívidas serão enviadas à PGFN a partir de outubro;
  • MEI possui débitos de 2016, mas parcelou em 2021: dívidas não serão enviadas neste momento;
  • MEI possui somente débitos de 2017 ou posteriores: dívidas não serão enviadas neste momento.

Fonte: Receita Federal

Read more

Entenda como ficou a gratificação salarial após a Reforma Trabalhista

GRATIFICAÇÃO SALARIAL

Regulamentada pela CLT, a gratificação pode acontecer de forma pontual em datas comemorativas ou por tempo de trabalho.

A gratificação salarial é um benefício financeiro extra oferecido pelo empregador, uma recompensa paga além do salário por um cargo de confiança, um trabalho bem desempenhado, por tempo de serviço e também em ocasiões festivas, como o natal.

Com a Reforma Trabalhista a incorporação dos prêmios, gratificações e bonificações por habitualidade foi extinguida, fazendo com que o benefício não seja parte irredutível do salário por ser oferecido algumas vezes.

Os prêmios então passam a ser considerados de forma separada, evitando que integrem o salário.

A gratificação portanto pode ser feita de forma pontual e esporádica, desde que o trabalhador esteja ciente de que não é uma gratificação legal, ou seja, acordada como fixa e recorrente.

Caso essa situação seja determinada como permanente (gratificação legal) a empresa é obrigada a manter o pagamento, já que a legislação nega qualquer redução salarial ou mudanças contratuais que possam prejudicar o trabalhador.

A redação sobre o tema após a Reforma Trabalhista fica da seguinte forma:

“Art. 457 § 1° – Integram o salário a importância fixa estipulada, as gratificações legais e de função e as comissões pagas pelo empregador.

(…)

Art. 457 § 4° – Consideram-se prêmios as liberalidades concedidas pelo empregador em forma de bens, serviços ou valor em dinheiro a empregado ou a grupo de empregados, em razão de desempenho superior ao ordinariamente esperado no exercício de suas atividades.”

Vale lembrar que essa situação deve constar na folha de pagamento, incidindo os devidos encargos trabalhistas também em cima deste valor e que sem a obrigação estipulada, o valor e a periodicidade podem variar.

Read more

Prazo de negociação de débitos com a Receita Federal termina dia 31

RFB

Contribuintes podem regularizar pendências com até 50% de desconto por meio da Transação Tributária.

Os contribuintes têm até a próxima terça-feira (31) para regularizar pendências junto à Receita Federal com até 50% de desconto por meio da Transação Tributária.

Podem aderir ao programa as pessoas físicas e jurídicas. Além disso, para fazer o acordo é necessário optar pelo Domicílio Tributário Eletrônico (DTE).

Transação Tributária

A Transação Tributária é uma forma de extinção dos débitos em que há concessões das duas partes, assim, o contribuinte termina a discussão em processo judicial ou administrativo e a Receita Federal aplica os descontos.

No momento está aberto o edital referente ao pagamento de contribuições sobre a participação nos lucros e resultados (PLR) para previdência ou outras entidades e fundos.

Os prazos e regras para adesão ao acordo de transação são publicados no Diário Oficial da União por meio de editais.

O prazo de adesão do Edital nº 11/2021 é entre o dia 1 de junho de 2021 e o dia 31 de agosto de 2021.

Como aderir

Para aderir à Transação Tributária é preciso acessar o sistema e selecionar a ação “Preencher/Enviar Formulário” na linha “Requerimento de Adesão à Transação no Contencioso Tributário de Relevante e Disseminada Controvérsia Jurídica”.

Complete as informações solicitadas na declaração eletrônica. Para cada grupo de informações (ocorrências) é necessário clicar no botão “Validar ocorrência”. É possível a inclusão de mais de um processo administrativo na declaração. Ao final, clique no botão “Transmitir”.

Vale ressaltar que o pedido de adesão à transação somente terá efeito a partir do dia do pagamento da primeira parcela da entrada, que deverá ocorrer até o último dia útil do mês de adesão.

DARF para pagamento deverá ser preenchido manualmente pelo contribuinte com o código de receita 6028.

Read more
×

Powered by WhatsApp Chat

× Como posso te ajudar?